Trabalho Relativo ou Free Fly?

Olá!!!

 

Antes de falar sobre minha dúvida eu vou esclarecer um pouquinho sobre o titulo desse post. O que acontece é o seguinte, dentro do paraquedismo existem várias modalidades que um atleta pode se encaminhar, FreeFly (FF), Formação em queda livre (TR),  skysurf, wingsuit, B.A.S.E jump etc… Bom em todas essas modalidades elas tem 2 posições de queda basicas, ou você cai com o corpo na horizontal (barriga, e dorso)  ou  na vertical (head-down, sit, stand up).

A questão é o seguinte, eu estou engatinhando ainda no mundo do skydive, e sei que devo experimentar um pouco de cada para saber se gosto mais de um ou de outro, porem quando eu comecei o curso de paraquedismo, eu tinha quase certeza que eu partiria para o free fly, pois achava que a movimentação em queda livre do free fly era mais agitada e animada e com maior grau de dificuldade que a do TR que na minha cabeça era uma troca de grips (movimento de aproximação entre os atletas) entediante,  monótona e chata.  Porem essa semana eu passei algum tempo vendo alguns videos sobre paraquedismo, e comecei pelas 2 melhores escolas que eu conheço de cada estilo, o CTR e a FlyFactory e a impressão que eu tive foi justamente o contrário, notei uma variedade de movimentos e intensidade de movimentação maior e mais empolgante no TR que no FF. Como imagens conseguem descrever melhor que palavras seguem dois videos que mostram o que eu quero dizer com isso:

Treino do time Optimun CTR:

FlyFactory Q1 2012:

Eu vou experimentar e me informar melhor sobre os dois estilos de “voo” para poder formar melhor uma opinião de ambos, más devo confessar que minha opinião sobre TR mudou drasticamente.

Uma coisa é fato, eu ainda vou saltar muito de barriga, por um simples motivo, independente do estilo que o paraquedista prefira se aprimorar, o comando é feito de barriga, e é extremamente importante estar estável no ar na hora do comando para diminuir os riscos de ter um twist ou alguma pane no momento da abertura, sem contar também que lá na frente eu tenho vontade de fazer um ou mais, se a coragem me permitir, saltos de B.A.S.E e pelo que eu já andei vendo e lendo sobre o assunto um posicionamento perfeito no momento do comando é FUNDAMENTAL e quase que OBRIGATÓRIO no BASE pois se você estiver um pouquinho torto seu paraquedas não vai abrir na posição esperada e ele pode acabar te jogando de encontro com o prédio, montanha, antena ou o que for que você estiver saltando dele quer ver um exemplo? Jeb Corliss falando sobre um salto realizado por ele próximo a uma cachoeira na Africa do Sul: aqui

Abração galera!!

Comments are closed.